Sporting

Caso Rafael Leão ainda não está fechado

Rafael Leão indeferido pelo Tribunal da Relação de Lisboa em janeiro deste ano

A longa novela que junta Sporting e Rafael Leão, iniciada a 14 de junho de 2018, quando o avançado decidiu rescindir, unilateralmente, com os leões, depois do ataque à Academia do clube, em Alcochete, teve mais um episódio, com o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), sediado em Lausanne, na Suíça, a determinar que a indemnização de 16,5 milhões de euros, estipulada pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) português, em março de 2020, entretanto acrescido de juros, que coloca o valor na casa dos 20 milhões de euros, seja paga também pelo Lille, clube francês que adquiriu o jogador a custo zero, a 8 de agosto de 2018.

A decisão do TAS, confirmou-nos fonte do organismo, não é passível de recurso por mérito mas a deliberação do TAD, tomada em março de 2021, e com recurso de Rafael Leão indeferido pelo Tribunal da Relação de Lisboa em janeiro deste ano, ainda não está fechada. Ao que A BOLA apurou, o pedido de anulação requerido pelo jogador ainda vai ser, agora, apreciado pelo Supremo Tribunal de Justiça.

«Existe a possibilidade real do valor indemnizatório que o Lille poderá ser responsabilizado em termos de decisão futura a ser tomada pelas instâncias da FIFA poder afetar a decisão do TAD, atendendo à solidariedade da obrigação que agora é assumida, pelo que o desfecho deste processo ainda não está qualitativa e quantitativamente fechado. O que agora aparenta ser uma boa decisão judicial do TAS, atendendo ao desconhecimento do desfecho da ação que agora irá decorrer na FIFA, poderá, afinal, transformar-se num pesadelo ainda maior», explica a A BOLA Lúcio Miguel Correia, professor de Direito do Desporto.

O que você acha sobre a notícia?

Botão Voltar ao topo