FC Porto

Revelados novos detalhes sobre a fortuna de André Villas-Boas

De acordo com a revista Sábado, a subida à presidência do FC Porto não ficou nada barata a André Villas-Boas. O novo presidente do FC Porto teria investido meio milhões de euros na campanha. Terá valido bem a pena, tendo em conta que mereceu a confiança de 80% dos sócios do clube do coração.

Depois de ter treinado o FC Porto, e vencido tudo numa época de sonho, Villas-Boas regressa agora à sua cadeira de sonho, porém, na tribuna presidencial.
O investimento não foi, por isso, em vão, e também não causaria grande mossa na fortuna pessoal de Villas-Boas, que foi um dos treinadores mais bem pagos do mundo. O seu maior salário foi no Shanghai SIPG, clube onde esteve de 2016 e 2017, com um salário de 12 milhões de euros anuais.

Porém, Villas-Boas quis deixar o clube, alegadamente por entrar em confronto com a direção, ao perceber a corrupção instaurada. Antes disso, também já tinha somado muitos milhões, entre elas uma indemnização de 14 milhões de euros no Chelsea ou 4,6 milhões do Tottenham, fora os salários milionários.

No Zenit, esteve a ganhar 8,7 milhões de euros, e mais tarde, no Marselha, recebeu 7,4 milhões de euros. Portanto, Villas-Boas terá um pé-de-meia assinalável, razões que o levam a afirmar que não pretende receber um salário de presidente no FC Porto.

“Acho que estou e estamos para servir o FC Porto, dentro desta candidatura também há uma série de pessoas, destas que eu escolhi, que fazem um esforço financeiro para vir para o FC Porto, sofrendo cortes na sua remuneração e aceitando servir o FC Porto. Eu acho que o presidente, neste caso, tem de ser o reflexo máximo deste esforço, mudar também o paradigma”, explicou Villas-Boas, recentemente, ao jornal O Jogo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo